terça-feira, 12 de julho de 2016

António José Godinho de Oliveira, um intelectual



Um quadro de António José Godinho de Oliveira
Ermida de Santo António da Ussa (Barroca d'Alva)

António José Godinho de Oliveira, filho de António José de Oliveira e de Alzira da Costa Godinho, nasceu em Alcochete (Rua Senhora Sant'Ana) a 16 de Dezembro de 1932.
Logo no ano seguinte ao do nascimento, os pais de António levaram-no para Lisboa onde receberá a instrução primária na freguesia da Ajuda.
Depois da 4ª classe, entra na Escola Industrial Marquês de Pombal (Alcântara) para frequentar o curso de desenhador de máquinas.
Terminado o curso industrial, António José faz a admissão ao Instituto Industrial, matriculando-se em Construção Civil e Minas.
Muito jovem, empregou-se na Federação Nacional dos Produtores de Trigo (FNPT) como administrativo, passando à categoria de desenhador em 1953.
Haveria de ser sub-chefe de divisão na Federação dos Trigos, nome vulgar deste organismo corporativo.
Chegado o 25 de Abril, a FNPT dá lugar à Empresa Pública de Abastecimento de Cereais (EPAC). Aqui António José é chefe de serviços.
Aposentado desde 1997, vive em Alcochete na sua casa do Rato onde continua a desenhar e a pintar (gouache, aguarela e óleo).
Mas a grande paixão do nosso entrevistado sempre foi a História Local.
Conhecedor profundo do passado de Alcochete... e ousado, interliga factos, logrando uma visão tão pessoal quanto interessante do que foi e é o povo alcochetano.
Em conclusão, a cultura individual de António José Godinho de Oliveira, a criatividade manifestada no plano artístico e a capacidade crítica fazem deste nosso conterrâneo um intelectual.

1 comentário:

  1. Tenho o grato prazer de conhecer o Senhor Godinho de Oliveira, alcochetano de gema e naturalmente um bom aficionado tauromáquico.
    Para ele um abraço

    ResponderEliminar