sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Jerónimo de Sousa e suas raízes

Em campanhas eleitorais, os comunistas e as outras esquerdas nunca aludem às chamadas causas fracturantes, eufemismo que cobre palavras como aborto, eutanásia, homossexualismo, ideologia de género, etc.
À laia de parêntesis, veja-se que os comunistas e as outras esquerdas nunca falam em princípios, mas sim em causas.
Recuperemos o fio da meada: uma vez instalados na Assembleia da República, os comunistas e as outras esquerdas aprovam toda a legislação a favor das ditas causas fracturantes.
Mas são as bases dos partidos de esquerda, com destaque para as do Partido Comunista, que na vida do quotidiano mais se encarniçam, por exemplo, contra homossexuais e tudo o que venha da ideologia de género.
E até o secretário geral dos comunistas, Jerónimo de Sousa, perante a vergonhosa derrota do seu candidato, na noite das eleições, deixa que as suas raízes venham à tona, e sem se dar conta que entrava em contradição com a prática legislativa do próprio Partido, refere-se manifestamente à Marisa Matias, ganhadora do Bloco de Esquerda, como candidata engraçadinha, não percebendo que estava a ser sexista e lançando por terra a ideologia de género.

Sem comentários:

Enviar um comentário