domingo, 8 de dezembro de 2013

O presépio frente à Igreja Matriz de Alcochete

O presépio frente à Igreja Matriz de Alcochete é um presépio ecológico: a vaca e o burro, em tamanhos praticamente naturais, avantajam-se à nossa vista, ficando a representação das pessoas da Sagrada Família lá para trás quase sumidas.
Isto para mim é sacrílego porque desfaz todo o espírito cristão.
O presépio é uma representação que comemora o nascimento de Jesus, o Deus Menino com Maria e José à cabeceira e os animais por trás.
Evidentemente que não poucos funcionários da Câmara de Alcochete, sem poder nem saber nem vontade (arrisco-me a não ser percebido), cumprindo consciente ou inconscientemente projectos de destruição civilizacional, antepõem o nefando espírito ambientalista ao lídimo espírito cristão.
Por outras palavras: o presépio frente à Igreja Matriz está ao serviço de uma religião biónica, nunca ao serviço da religião de Jesus Cristo, isto é, do Evangelho.
O que mais me espanta no meio disto tudo é que o Prior da terra, o Padre Ramiro, consiga viver debaixo disto tudo sem uma palavra de revolta a partir do alto do púlpito.
Jesus Cristo não expulsou os vendilhões do templo?
Meu nome é João José da Silva Marafuga.

2 comentários:

  1. Tenho falado com mil alcochetanos sobre o presépio frente à Igreja Matriz de Alcochete.
    NEMHUM ESTÁ DE ACORDO.
    Mas pronto...tudo numa boa...até um dia!...

    ResponderEliminar
  2. Uma religião biónica é uma religião assente na natureza, isto é, uma religião biónica é uma idolatria porque a natureza é uma criatura.

    ResponderEliminar